Fronteiras e pontes entre a epistemologia e a axiologia no pensamento kantiano: uma perspectiva heideggeriana

  • José Arlindo de Aguiar Filho Universidade Estadual da Paraíba UEPB
Palavras-chave: Kant. Heidegger. Ciência. Ética. Ontologia.

Resumo

Resumo: A proposta do trabalho é analisar a história da separação dos campos conceituais de cunho epistemológico daqueles de cunho axiológico durante o final da idade moderna e sua recepção crítica na contemporaneidade. A extensão do tema implica cortes metodológicos para viabilizar a execução da pesquisa e estes resultam na escolha de dois filósofos relevantes e interligados: Immanuel Kant como representante do final da modernidade e cujo pensamento fundamenta a perspectiva contemporânea sobre a relação entre ciência e moralidade; e Martin Heidegger, pensador contemporâneo, profundo leitor e crítico da obra kantiana bem como de sua recepção no início do século XX. A trajetória percorrida no texto explora os aspectos da epistemologia kantiana como articulação simétrica de sua moralidade, porém em um campo de decidibilidade sobre teorias. A moralidade por sua vez implica uma fundamentação prática que extrapola o paradigma de decidibilidade em favor de um pragmatismo de fundamentação metafisica. A leitura heideggeriana explora a construção desta simetria através da pretensa insuficiência do pilar conceitual dos dois campos: a subjetividade. A tentativa heideggeriana coloca a necessidade de pensar radicalmente o lugar do sujeito, tanto do conhecimento quanto da ação. A apresentação do problema de cisão entre epistemologia e axiologia em Kant e a proposta heideggeriana de re-união dos campos epistemológico e axiológico numa raiz originária de cunho ontológico é a trajetória que se busca explanar e analisar neste trabalho.

Biografia do Autor

José Arlindo de Aguiar Filho, Universidade Estadual da Paraíba UEPB

Graduação (2001) e Mestrado (2003) em Filosofia pela Universidade Federal de Pernambuco, Doutorado (2010) em Filosofia pelo programa integrado da Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal da Paraíba e Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é professor adjunto C da Universidade Estadual da Paraíba UEPB. Tem experiência nas áreas de História da Filosofia, Filosofia Contemporânea, Filosofia Jurídica e Filosofia da Educação; atuando principalmente nos seguintes temas: Fenomenologia e Existencialismo, Heidegger, Filosofia Política, História da Filosofia, Retórica e Pragmatismo.

Referências

HEIDEGGER, Martin. Kant y el Problema de la Metafísica. Traduzido por Gred Ibscher Roth. México: Fondo de Cultura Económica, 1996a. Título original: Kant und das Problem der Metaphysik. (1929)
HEIDEGGER, Martin. Phenomenological Interpretation of Kant’s Critique of Pure Reason. Traduzido por Parvis Emand, e Kenneth Maly. Bloomington: Indiana University Press, 1997. Título original: Phänomenologishe Interpretation von Kants Kritik der Reinen Vernunft. (1927/1928a)
HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Traduzido por Márcia de Sá Cavalcante Schuback. 7.ed. Petrópolis: Vozes, 1998. Título original: Sein und Zeit. (1927a)
HEIDEGGER, Martin. The Metaphysical Foundations of Logic. Traduzido por Michael Heim. Bloomington: Indiana University Press, 1992. Título original: Metaphysische Anfangsgründe der Logik im Ausgang von Leibniz. (1928b)
HÖFFE, Otfried. Immanuel Kant. Traduzido por: Christian Viktor Hamm e Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. Traduzido por: Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. 4.ed. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1997. Título original: Kritik der reinen Vernunft. (1781)
KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes e outros escritos. São Paulo: Martin Claret, 2006.
KANT, Immanuel. Princípios metafísicos da ciência da natureza. Lisboa: Edições 70, 1990. Título original: Metaphysische Anfangsgründe der Naturwissenschaften. (1786)
KANT, Immanuel. Prolegómenos a Toda a Metafísica Futura. Lisboa: Edições 70, 1987. Título original: Prolegomena zu einer jeden künftigen Metaphysic, die als Wissenschaft wird auftreten können. (1783)
KISIEL, Theodore. The Genesis of Heidegger’s Being & Time. Berkeley: University of California Press, 1995.
LEBRUN, Gerard. Kant e o Fim da Metafísica. Traduzido por Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
LOPARIC, Zeljko. Heidegger. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.
LOPARIC, Zeljko. Os problemas da razão pura e a semântica Transcendental. Doispontos, Curitiba, São Carlos, vol. 2, n. 2, p.113-128, outubro, 2005.
ONATE, Alberto Marcos. O lugar do transcendental. Revista de Filosofia (PUCPR), v. 19, p. 131-145, 2007.
POPPER, Karl. The World of Parmenides: Essays on the presocratic enlightenment. Londres: Routledge, 2002.
SEARLE, John R. Limits of Phenomenology. 1999. consultado no sítio da University of Califórnia, Berkeley em 2008. http://ist-socrates.berkeley.edu/~jsearle/articles.html
SILVER, Brian L. A Escalada da Ciência. Florianópolis: Editora UFSC, 2003.
STRAWSON, Peter Frederick. The Bounds of Sense: An Essay on Kant’s Critique of Pure Reason. Londres: Routledge, 1999.
WATKINS, Eric. Kant and the Sciences. New York: Oxford University Press, 2001.
WATKINS, Eric. “Kant on Force and Extension: Critical Appropriations of Leibniz and Newton” in Between Leibniz, Newton and Kant: Philosophy and Science in the 18th Century, W. Lefevre (ed.), Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2001. pp. 111-127.
Publicado
2020-10-02
Como Citar
Filho, J. A. de A. (2020). Fronteiras e pontes entre a epistemologia e a axiologia no pensamento kantiano: uma perspectiva heideggeriana. ARARIPE - REVISTA DE FILOSOFIA , 1(1), 99-132. Recuperado de //periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/araripe/article/view/624