Martín de Azpilcueta e a justificação moral da prática comercial

  • Marlo Nascimento Universidade do Vale do Rio dos Sinos - São Leopoldo RS
Palavras-chave: Martín Azpilcueta, Escolástica, Moral, Prática comercial

Resumo

O artigo busca examinar, no pensamento de Martín de Azpilcueta (1492- 1586), a questão da justificação moral da prática comercial. Na intenção de alcançar este objetivo, buscar-se-á explorar a compreensão da moralidade envolvendo a atividade comercial em pensadores anteriores a Azpilcueta que trataram do tema e, que de certa forma, o influenciaram na abordagem da questão. Nessa perspectiva, será destacada a discussão trazida por Tomás de Aquino (1225-1274) e João Duns Scotus (1265-1308). Assim, se investigará como o legado destes dois grandes filósofos medievais influenciaram a compreensão de Azpilcueta sobre o tema da defesa da legitimidade moral da prática comercial, discussão essa que o pensador trata em sua obra Commentaria in septem distinctiones de poenitentia.

Biografia do Autor

Marlo Nascimento, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - São Leopoldo RS

Doutor em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas - UFPEL e Especialista em Gestão Pública e Sociedade pela Universidade Federal do Tocantins - UFT. Graduado em Filosofia pelo Instituto Superior de Filosofia Berthier - IFIBE e em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal do Rio grande - FURG. Realizou parte do doutorado em Sanduiche na Universidade de Lisboa  (Orientador: Pedro Calafate). Defendeu a tese sobre o desenvolvimento da teoria do preço justo: Martín de Azpilcueta entre a originalidade e a tradição, no  ano de 2019.

Referências

AQUINO, Tomás de. Suma Teológica. Vol. 6. 3. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014.
ARISTÓTELES. Ethica Nicomachea V 1-15: Tratado da Justiça. Tradução de Marco Zingano. São Paulo: Odysseus, 2017.
AZPILCUETA, Martín de. Commentaria in septem distinctiones de poenitentia. In: Operum II. Romae, 1588.
BRAVO, Restituto Sierra. El pensamiento social y económico de la escolástica desde sus orígenes al comienzo del catolicismo social. Madrid: CSIC, 1975.
CÍCERO, Marco Túlio. Dos Deveres. Tradução, introdução, notas, índice e glossário por Carlos Humberto Gomes. Lisboa: Edições 70, 2000.DÍEZ, José Rodríguez. Invitación a una traducción española del corpus iuris canonici. Anuario jurídico y económico escurialense, n. 40, p. 323-350, 2007.
LANGHOLM, Odd. Economics in the medieval schools: wealth, exchange, value, money, and usury according to the Paris theological tradition, 1200-1350. Leiden New York: E.J. Brill, 1992.
MUÑOZ DE JUANA, Rodrigo. Moral y economía en la obra de Martín de Azpilcueta. Pamplona: EUNSA, 1998.
RICHTERI, AemiliI Ludouici; FRIEDBERG, Aemilius. Corpus iuris canonici: Decretum magistri Gratiani. Graz: Akademische Druck-u. Verlagsanstalt, 1955.
ROESLER, Claudia Rosane. A estabilização do direito canônico e o decreto de Graciano. Seqüência: estudos jurídicos e políticos, v. 25, n. 49, p. 9-32, 2004.
SCOTUS, John Duns [DUNS SCOTI, Ioannis]. Opera Omnia. Paris: Louis Vivès, 1891-1895. Westmead, Franborough, and Hants, Gregg International Publishers, 1969. 26 vols.
TEJERO, Eloy. El Doctor Navarro en la historia de la doctrina canónica y moral. El el IV centenario de la muerte de Martín de Azpilcueta. Gobierno de Navarra, Pamplona: EUNSA, p. 125-180, 1988.
VIÑUALES, Alvaro Perpere. Vida económica y moralidad: Tomás de Aquino, Petrus Iohannis Olivi y el rol de los mercaderes en de la sociedad. Cultura Económica, v. 35, n. 94, 2018.
Publicado
2021-08-28
Como Citar
Nascimento, M. (2021). Martín de Azpilcueta e a justificação moral da prática comercial. ARARIPE - REVISTA DE FILOSOFIA , 2(1), 60-70. Recuperado de //periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/araripe/article/view/778