A teoria da contingência do Instante de tempo presente em Duns Scotus

  • Ernesto Dezza Pontifícia Università Antonianum de Roma - Itália
  • Uellinton Valentim Corsi Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS
Palavras-chave: Duns Scotus, Teoria da Contingência, liberdade, tempo presente

Resumo

Este estudo tem por finalidade investigar a teoria da contingência do tempo presente em Duns Scotus, pela qual é afirmada a liberdade humana. O Doutor Sutil parte do conceito de contingência e de possibilidade para fundamentar a contingência das ações divinas e humanas, lançando luzes à problemática das ações livres da vontade humana. Vincula-se a esse assunto o conceito de faculdade natural e de faculdade racional, aos quais o Sutil relaciona à natural o intelecto e à racional a vontade. Consequentemente, esse processo interfere no entendimento que temos sobre como que ocorre as ações livres dos seres humanos. Assim, pois, como bibliografia primeira, analisaremos algumas questões da obra Ordinatio e Lectura, contando com subsídios de comentadores e pesquisadores acerca do assunto.

Biografia do Autor

Ernesto Dezza, Pontifícia Università Antonianum de Roma - Itália

2020 (Spring Semester) Esperienza Post-Doc, Visiting Scholar presso la School of Philosophy della Catholic University of America - Washington, D.C. (USA), Mentore: Ch.mo prof. Timothy Noone. Dottorato in Filosofia, Università Antonianum - Roma, Tesi: La teoria modale di Giovanni Duns Scoto. Il caso della relazione tra creatura e creatore e la condizione di beatitudine (summa cum laude), Relatore: Ch.mo prof. Luca Parisoli. Laurea specialistica in Filosofia, Università Cattolica del Sacro Cuore – Milano, Tesi: La dottrina della creazione in Giovanni Duns Scoto (con lode) Relatore: Ch.mo prof. Alessandro Ghisalberti. Licenza in Teologia sistematica, Facoltà Teologica dell'Italia Settentrionale – Milano, Tesi: Dio come ente infinito in Giovanni Duns Scoto (summa cum laude) Relatore: Ch.mo prof. Costante Marabelli.

Uellinton Valentim Corsi, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS

Frade Franciscano e pesquisador CNPq em Metafísica franciscana e scotista, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Membro do grupo de pesquisa em Filosofia Medieval na área da metafísica compreendida como ciência dos transcendentais e da ética (2020/2 - atual). Estuda o pensamento filosófico da Escola Franciscana e, em específico, nos autores Alexandre de Hales, Boaventura de Bagnoregio e João Duns Scotus, estando sob a orientação do Prof. Dr. Roberto Hofmeister Pich. A investigação também é pautada no ineditismo do tema em Scotus, (Ordinatio III, d. 15, q. un.), acerca do estatuto ontológico da dor, ações mistas e voluntariedade.  

Referências

HONNEFELDER, Ludger. João Duns Scotus. Trad. PICH, Roberto Hofmeister. São
Paulo: Edições Loyola, 2010.
Ioannes Duns Scotus. Lectura I (ed. Vaticana, XVII).
_____. Ordinatio I, (ed. Vaticana II 178).
_____. Ordinatio III (ed. Vaticana, X, 249).
_____. Ordinatio, Prologus (ed. Vaticana I, 235 - 326).
_____. Quaestiones super libros Metaphysicorum Aristotelis (ed. St. Bonaventure IV, 681).
_____. Tratado do Primeiro Princípio. Trad. de NOUGUÉ, Carlos. São Paulo: É realizações, 2015.
_____. Contingency and Freedom, Lectura I, d. 39. Introduction, Translation and Commentary JACZN, A. Vos; VELDHUIS, H. et al. Dordrecth; Boston; London: Kluwer Academic Publisherm, 1994.
ARISTOTELES. De interpretatione. Tradução do grego e notas de GOMES, Pinharanda. Lisboa: Guimarães Editores, 1985.
ARISTOTELES. Ethica Nicomachea. Edição bilíngue português-grego. Tradução de Antonio de castro Caeiro. São Paulo, editora Atlas, 2009
ALMEIDA, Dimas de. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas, 2012.
_____. Metafísica. Vol. II. (5 ed.). Ensaio introdutório, texto grego com tradução e comentário de REALE, Giovanni. Trad. de PERINE , Marcelo. São Paulo: Edições Loyola, 2015.
BOEHNER, Philotheus; GILSON, Etienne. História da Filosofia Cristã. Trad. e nota introd. VIER, Raimundo. Petrópolis: Vozes, 2012.
DEZZA, E. Giovanni Duns Scoto e gli instantia naturae. In. Divine Ideas in Franciscan Thought (XIIIth-XIVth century). Roma: J.F. Falà - I. Zavattero, Aracne, 2018.
_____. La teoria modale di Giovanni Duns Scoto. Il caso della relazione tra creatura e creatore e la condizione di beatitudine. Roma: Antonianum, 2018.
GILSON, Étienne. O espírito da filosofia medieval. Trad. de BRANDÃO, Eduardo. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2020.
HOFFMANN, T. La teoria anti-naturalistica della libertà. In. Antonianum, n. 87, Giovanni Duns Scoto. Roma: Antonianum, 2012.
KENNY. A. Scotus and the Sea Battle. In. Aristotle in Britain during the Middle Ages. Proceeding of the International Conference at Cambridge, 8 - 11 April 1994. Brepols: J. Marenbon, Turnhout, 1996.
MASSIE, P. Time and Contingency in Duns Scotus. In. The Saint Anselm Journal 3.2 (2006), . Acessado em 29 de julho de 2021, pp. 17 – 31.
MERINO, José Antonio; FRESNEDA, Francisco Martínez. Manual de Filosofia Franciscana. Petrópolis: Editora Vozes, 2006.
MERINO, José António. João Duns Escoto: introdução ao seu pensamento filosófico- teológico. Trad. de MERINO, José António. Portugal: Editorial Franciscana, 2008.
NORMORE, C. G. Duns Scotus’s Modal Theory. In. The Cambridge Companion to Duns Scotus. Williams, T. (org.). New York; Cambridge: Cambridge University Press, 2003.
_____. Teoria Modal de Duns Scotus. In. WILLIAMS, Thomas (Org.). Duns Scotus. Trad. de RODRIGUES, Cassiano Terra. São Paulo: Ideias e Letras, 2013.
PARISOLI, L. La contraddizione vera. Giovanni Duns Scoto tra le necessità della metafisica e il discorso della filosofia pratica. Roma: Istituto Storico dei Cappuccini, 2005.
PICH, Roberto Hofmeister. Contingência e Liberdade. In: João Duns Scotus, Textos sobre poder, conhecimento e contingência. Coleção Pensamento Franciscano, Vol. XI. Trad. e introd. PICH, Roberto Hofmeister. Porto Alegre: EdiPucrs; Universidade São Francisco, 2008.
_____. Scotus sobre ações mistas e voluntário: novas análises sobre a liberdade da vontade. In. Dissertatio: Revista de filosofia. Pelotas: UFPEL, (2020), v. 52, pp. 101 – 135. Disponível em: . Acessado em: 26 de julho de 2021.
_____. Tempo e eternidade na Idade Média. In. Mirabilia, v. 11, (2010),
pp. 241 – 279. Disponível em: . Acessado em 21 de julho de 2021.
SCHMIDT, A. The Concept of Time in Theology and Physics. In. Duns Scot à Paris 1302 - 2002. Actes du Colloque de Paris, 2-4 septembre 2002. O. Boulnois-J.-L. Solère et al. (org.). Brepols-FIDEM: Turnhout, 2004.
Publicado
2021-08-29
Como Citar
Dezza, E., & Corsi, U. V. (2021). A teoria da contingência do Instante de tempo presente em Duns Scotus. ARARIPE - REVISTA DE FILOSOFIA , 2(1), 116-139. Recuperado de //periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/araripe/article/view/783