TENDÊNCIAS DAS MIGRAÇÕES INTERESTADUAIS DE RETORNO NO BRASIL

  • Silvana Nunes de Queiroz Universidade Regional do Cariri - URCA

Resumo

Este  trabalho  tem  como  principal  objetivo  analisar  e  comparar  as  informações  sobre  a migração  interestadual  de  retorno  para  todas  as  Unidades  da  Federação  e  Grandes  Regiões brasileiras.  Os  microdados  dos  Censos  Demográficos  de  1980,  1991,  2000  e  2010  são  a
principal fonte de informações, com o fluxo estudado durante os quinquênios de 1975/1980, 1986/1991,  1995/2000  e  2005/2010.  Os  resultados  apontaram  manutenção  no  volume  de retornados para os estados de nascimento, com o fluxo envolvendo algo em torno de 1 milhão de pessoas ou cerca de 20% das migrações interestaduais no conjunto do país, desde a década de 1980. Quanto à distribuição regional, o Nordeste se destacou durante todo o período como
a principal área de recepção de retornados, representando o refluxo das saídas  -  do lugar de onde  partiu  o  maior  contingente  de  emigrantes,  procede  o  maior  número  de  imigrantes  de retorno. Em nível estadual, o Ceará, Paraíba, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e o Paraná, tradicionais áreas de perda populacional, receberam os maiores percentuais de regressados.
Publicado
2015-10-05
Seção
Artigos