Modo de vida comunitário e preservação ambiental: Um estudo sobre a participação social na Prainha do Canto Verde

  • Daniel Welton Arruda Cabral Afiliação Institucional: Estudante de Doutorado pela Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Ceará. Brasil. Departamento de pós-graduação em psicologia. http://orcid.org/0000-0002-1558-047X
  • Zulmira Aúrea Cruz Bomfim Afiliação Institucional: Professor Associado IV em Regime de Dedicação Exclusiva em Universidade Federal do Ceará. Departamento de pós-graduação em psicologia. Fortaleza, Ceará. Brasil. Endereço de correspondência: Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Departamento de Psicologia. Avenida da Universidade 2762 – Benfica. CEP: 60020-180 - Fortaleza, CE - Brasil Telefone: (85) 3366.7661 http://orcid.org/0000-0002-1874-8821
  • Renata Cristina Façanha de Meneses Afiliação Institucional: Estudante de Mestrado pela Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Ceará. Brasil. Departamento de pós-graduação em psicologia. http://orcid.org/0000-0002-7168-5241

Resumo

Este trabalho é parte de uma pesquisa vinculada a um Programa de Pós-Graduação em Psicologia. A fundamentação teórica utilizada foi a Psicologia Ambiental de viés transacional, que estuda o ambiente a partir de suas dimensões físicas, econômicas, sociais e culturais, assim como do arcabouço teórico de uma Psicologia Social que entende a afetividade como uma dimensão mediadora da ação transformação. A pesquisa teve como objetivo geral analisar a inter-relação entre os processos de participação social da comunidade da Prainha do Canto Verde e a relação afetiva pessoa-ambiente. Os objetivos específicos foram: investigar o modo de vida dos moradores da comunidade e entender de que maneira ocorre a participação comunitária dos moradores da localidade. A metodologia de geração de dados realizada através da formação de grupos focais com quinze moradores da localidade, adultos, de ambos os sexos, de diferentes níveis escolares e engajados em atividades comunitárias. A escolha da comunidade se deu por conta de um forte histórico de participação social realizado há décadas e que contribuiu para diversas conquistas e melhorias socioambientais. A participação comunitária se evidenciou neste estudo como parte da identidade destes sujeitos, formada desde a infância, especialmente pela identificação com a participação dos pais. A participação se mostrou vivenciada a partir de sentimentos como “desejo” e “paixão”; e motivada pela vontade de preservar o local e o modo de vida para seus filhos. Mostrou-se ainda relacionada ao pertencimento e promotora de orgulho, fazendo com que sentimentos de solidariedade e de partilha coexistam para além das disputas internas. O rodízio no protagonismo dos moradores bem como o apreço à participação social como um valor passado de forma transgeracional no seio familiar mostraram-se fundamentais para a perpetuação do engajamento da comunidade e para a promoção de laços comunitários.

Biografia do Autor

Daniel Welton Arruda Cabral, Afiliação Institucional: Estudante de Doutorado pela Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Ceará. Brasil. Departamento de pós-graduação em psicologia.

Graduado em Psicologia pela Universidade de Fortaleza. Mestre em Psicologia pela Universidade federal do Ceará. Doutorando em psicologia pela Universidade Federal do Ceará.

Afiliação Institucional: Estudante de Doutorado pela Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Ceará. Brasil. Departamento de pós-graduação em psicologia.

Zulmira Aúrea Cruz Bomfim, Afiliação Institucional: Professor Associado IV em Regime de Dedicação Exclusiva em Universidade Federal do Ceará. Departamento de pós-graduação em psicologia. Fortaleza, Ceará. Brasil. Endereço de correspondência: Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Departamento de Psicologia. Avenida da Universidade 2762 – Benfica. CEP: 60020-180 - Fortaleza, CE - Brasil Telefone: (85) 3366.7661

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília. Doutorado em psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Afiliação Institucional: Professor Associado IV em Regime de Dedicação Exclusiva em Universidade Federal do Ceará. Departamento de pós-graduação em psicologia. Fortaleza, Ceará. Brasil.

Renata Cristina Façanha de Meneses, Afiliação Institucional: Estudante de Mestrado pela Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, Ceará. Brasil. Departamento de pós-graduação em psicologia.
Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual do Ceará. Residência em Assistência em Transplante pela Universidade Federal do Ceará. Especialista em Neuropsicologia pela Unichristus. Mestranda em Psicologia pelo Programa de Pós Graduação em Psicologia na Universidade Federal do Ceará.

Referências

BRASIL. Constituição Federal: Lei 9.985, de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o , incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Brasília, 18 de julho de 2000. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 28 set. 2016.

BODERNAVE, J.E.D. O que é participação. São Paulo: Brasiliense, 1983.

DEMO, P. Participação é conquista: noções de política social participativa. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

______. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez e Moraes, 1979.

GALDINO, J. W. Educação e movimentos sociais na pesca artesanal. Fortaleza: UFC, 2014.

MOSER, G. Psicologia Ambiental no Novo Milênio: Integrando a Dinâmica Cultural e a Dimensão Temporal. In: TASSARA, EDA (Org.). Panoramas interdisciplinares para uma Psicologia Ambiental do Urbano. São Paulo: EDUC, 2001.

PRAINHA do canto verde. Beberibe, 2011. Disponível em: <http://prainhadocantoverde.org/associacao-dos-moradores/>. Acesso em: 2 mar. 2019.

SAWAIA, B.B. Participação social e subjetividade. In: SORRENDINO, M. Ambientalismo e participação na contemporaneidade. São Paulo: EDUC, 2002.

SHERER-WARREN, I. Movimentos sociais e participação. In: SORRENDINO, M. Ambientalismo e participação na contemporaneidade. São Paulo: EDUC, 2002.

TUAN, Y.F. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980.

VYGOTSKY, L. S. Os métodos de investigação reflexológicos e psicológicos: Teoria e método em psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Publicado
2019-08-20
Como Citar
Cabral, D. W. A., Bomfim, Z. A. C., & Meneses, R. C. F. de. (2019). Modo de vida comunitário e preservação ambiental: Um estudo sobre a participação social na Prainha do Canto Verde. Ciência E Sustentabilidade, 5(1), 6-27. https://doi.org/10.33809/2447-4606.512019%p
Seção
Artigos