Diálogos sobre os Estudos de Gênero, Diversidade e Memória

a construção discursiva e a produção do conhecimento como ferramentas para erradicação da Cultura do Estupro e violência contra as mulheres

  • Bruna Souza Jacob Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Naíra Santos Tranquilli Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Leyde Klebia Rodrigues da Silva Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Isadora Maria Salomão de Oliveira Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Resumo

O presente trabalho se propõe a estabelecer diálogos entre os campos dos estudos em Gênero e Diversidade e da Memória. Trazemos por esse meio dados e caracterização sobre um tema ainda hoje tratado como tabu: A Cultura do Estupro. Dentro da discussão sobre relações de poder, discorremos sobre a necessidade de uma produção discursiva e científica numa perspectiva emancipatória e não silenciadora. Nesse sentido, acreditamos que a articulação das teorias feministas junto ao campo da memória e da produção discursiva, pode ser um caminho de sucesso rumo a construção de novas práticas políticas para que possamos romper com o pacto do silenciamento; daqueles corpos que historicamente são marcados por violências físicas e psicológicas, também com a perpetuação da culpabilização da vítima, a hiperssexualização precoce das mulheres e das crianças. Para embasar a discussão trazemos dados sobre perfil das notificações de estupro no Brasil

Publicado
2020-01-09
Como Citar
JACOB, B. S.; TRANQUILLI, N. S.; SILVA, L. K. R. DA; OLIVEIRA, I. M. S. DE. Diálogos sobre os Estudos de Gênero, Diversidade e Memória: a construção discursiva e a produção do conhecimento como ferramentas para erradicação da Cultura do Estupro e violência contra as mulheres. Folha de Rosto, v. 5, n. Especial, p. 35-48, 9 jan. 2020.