Política de informação e pós-verdade

uma leitura em cenário pandêmico

  • Marco Antônio Llarena Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Rosilene Agapito da Silva Llarena Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • Danielle Harlene da Silva Moreno Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • Maria Meriane Vieira da Rocha Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Palavras-chave: Políticas de Informação, Pós-verdade, Pandemia do novo coronavírus

Resumo

Aborda sobre a política de informação e pós-verdade por meio de uma leitura do cenário pandêmico. Apresenta a informação como protagonista na efetivação da construção de uma narrativa verdadeira que possa contribuir, efetivamente, para combater os efeitos da pandemia, com o intuito de entendê-la e de disponibilizar informação confiável. A parte metodológica apresenta-se com as seguintes características: quanto à natureza, trata-se de uma pesquisa qualitativa, e bibliográfica, quanto ao ponto de vista da abordagem do problema, usando informações em suportes variados, que serviram de alicerce para a fundamentação teórica, além de fontes informacionais extraídas da Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação; quanto aos objetivos, é descritiva, por pautar os autores, as referências, os títulos e suas abordagens, no que versa aos temas relacionados à ‘política de informação’, ‘pós-verdade’ e ‘pandemia’. Quanto aos procedimentos técnicos, a pesquisa caracteriza-se por análise de conteúdo, pois analisa a essência dos artigos minerados, numa perspectiva relacional, considerando o cenário pandêmico, o contexto da pós-verdade e a necessidade e a relevância das políticas de informação. De acordo com os resultados, constatou-se a relação entre a desinformação, a pandemia e a urgência de políticas de informação que levem a novas formas de agir e de lutar para combater a desinformação. Poucos trabalhos foram publicados e indexados na BRAPIC e não foram encontrados artigos que discutem sobre os regimes de informação relacionados às políticas de informação e à pandemia de maneira direta.

 

Referências

ARAÚJO, C. A. V. Fundamentos da ciência da informação: correntes teóricas e o conceito de informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, n. 1, p. 57-79, 2014b. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/51437. Acesso em: 28 abr. 2019.
ARAÚJO, C. A. Á. de. Correntes Teóricas da Ciência da Informação. Ciência da Informação, n. 3, v. 38, 2009. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/21662. Acesso em: 28 abr. 2019.
BEZERRA, A; CAPURRO, R; SCHNEIDER, M. Regimes de verdade e poder: dos tempos modernos à era digital. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.13, n.2, p. 371-380, novembro 2017. http://www.ibict.br/liin. Acesso em: 10 nov. 2020.
BLATTMANN, U.; BAHIA, E. M. D. S. Informação e transformação em época de covid -19. Ágora, v. 30, n. 61, p. 457-458, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/141793. Acesso em: 27 out. 2020.
BUFREM, L. S. A pandemia da covid-19 no Brasil: informações e contradições na atual conjuntura. Revista P2P e Inovação, v. 7, p. 101-120, 2020.
BROOKES, B. C. The foudations of information science. Journal of Information Science, Amsterdã, v. 2, n. 3-4, p. 125-133, 1980. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/016555158000200502. Acesso em: 20 abr. 2019
CORRÊA, E; CUSTÓDIO, M. A informação enfurecida e a missão e a missão do bibliotecário em tempos de pós-verdade. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, Online First, 2018.
DUNKER, C. Subjetividade em tempos de pós-verdade. In: DUNKER, C. et al. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017
ESCOBAR, M.V.M. Crença, emoção e identidade: por que reagimos mal a refutações? Revista SimplesMente. 2017. Disponível em: http://revistasimplesmente.com.br/crenca-emocao-e-identidade-por-que-reagimos-mal-a-refutacoes/. Acesso em: 28 ago. 2018.
FROHMANN, B. Talking information policy beyond information science: Applying the actor network theory. In: H. A. O.; D. B. W. (Eds.) Proceedings of the 23rd Annual conference of the Canadian Association for Information Science, Jun., p. 7–10, Edmonton, Alberta, 1995. Disponível em: http://www.caiscsi.ca/proceedings.1995/frohmann_1995.pdf. Acesso em: 10 dez. 2019.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.
GONZÁLEZ DE GOMEZ, M. N. Novos cenários políticos para a informação. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 31, n. 1, p. 27-40, jan./abr. 2002. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/975/1013. Acesso em: 24 maio 2017.
GONZÁLEZ DE GOMEZ, M. N. Da política de informação ao papel da informação na política contemporânea. Revista Internacional de Estudos Políticos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 67-94, abr. 1999.
LIMA, C. R. M.; SáNCHEZ-TARRAGÓ, N.; MORAES, D.; GRINGS, L.; MAIA, M. R. Emergência de saúde pública global por pandemia de covid-19. Revista Folha de Rosto, v. 6, n. 2, p. 5-21, 2020.
MARTINS, A. A. L. Mediação informacional: uma perspectiva a partir do campo social da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 14., 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em:. Acesso em: 16 jul. 2018.
MUNGUAMBE, R. M. T. P.; FREIRE, G. H. A. A competência informacional dos técnicos da biblioteca central da universidade Eduardo Mondlane em Moçambique no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. Revista Analisando em Ciência da Informação, v. 4, n. 2, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/80848. Acesso em: 16 out. 2020.
ORTEGA Y GASSET, José. Missão do bibliotecário. Brasília: Briquet de Lemos, 2006.
PÓS-VERDADE. In: DICIONÁRIO Oxford Languages. Disponível em: https://en.oxforddictionaries.com/word-of-the-year/word-of-the-year-2016. Acesso em: 10 nov. 2020.
PRADO, S.; GRACIOSO, L. S.; COSTA, L. S. F. O papel da memória institucional para a gestão universitária: contribuições para a consolidação da UMMA na ufscar. Informação & Informação, v. 24, n. 3, p. 409-432, 2019.
PREGER, G. F. Cenários especulativos pós-pandêmicos: a catástrofe sanitária e as redes solidárias. Revista P2P e Inovação, v. 7, p. 32-70, 2020.
TIBURI, M. Pós-verdade, pós-ética: uma reflexão. In: DUNKER, C. et al. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinense, 2017.
SARACEVIC, T. Information Science. JASIS – Journal of the American Society for Information Science, v. 50, n. 12, p. 1051-1063, 1999.
SOUZA, A. R.; JÚNIOR, F. A. A economia solidária como resposta à crise pandêmica e fator de outro tipo de desenvolvimento. Revista P2P e Inovação, v. 7, p. 8-25, 2020.
SOUSA, A. O papel do bibliotecário como mediador no contexto na era da pós-verdade. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, n. esp. CBBD 2017.
Publicado
2021-09-14
Como Citar
LLARENA, M. A.; LLARENA, R. A. DA S.; MORENO, D. H. DA S.; ROCHA, M. M. V. DA. Política de informação e pós-verdade: uma leitura em cenário pandêmico . Folha de Rosto, v. 7, n. 2, p. 79-97, 14 set. 2021.