DOPS-Pernambuco (PE)

um olhar arquivístico com restringes de repressão

  • André Luiz da Silva Romão
  • Angela Holanda Vilela
  • Carlos Gabriel da Silva Lucena
  • Fábio Mascarenhas e Silva UFPE
Palavras-chave: Documento Arquivístico, DOPS(PERNAMBUCO), Ditadura Militar (BRASIL)

Resumo

Durante a ditadura militar no Brasil, houve momentos de estigma no controle social, político e econômico, acarretada de acontecimentos sob modo de investigação, censura, repressão e distintas de coerção perante a sociedade. No Estado de Pernambuco ocorreu à atuação do Departamento Ordem Política e Social (DOPS), um órgão estatal com a função de reprimir os indivíduos que poderiam desempenhar ações subversivas à ordem pública. Esta pesquisa tem como objetivo realizar uma análisé sobre o DOPS-PERNAMBUCO, baseado em documentos digitais disponíveis na internet. Quanto ao método de abordagem, adotou-se o método indutivo que pressupõe a observação de fatos particulares para elaboração de explicações gerais, neste caso, de aspectos relativos ao regime militar no Brasil, contudo numa perpectiva mais específica, da atuação do DOPS em Pernambuco. Quanto aos fins, trata-se de uma pesquisa descritiva, ao expor características do fenômeno descerevendo-o, sem o compromisso de analisá-los. Quanto aos meios é uma investigação documentária e bibliográfica por ter sido desenvolvida com material publicado em livros, periódicos e material acessível ao público em geral, sejam eles em fontes primárias ou secundárias. Percebe-se que o DOPS–PE teve como prática a investigação, censura, repressão, disseminação e manipulação da informação, interferindo na convivência da sociedade. Contudo o Departamento foi marcado por momentos de opressões, apesar da fragilidade documental que aflige na reconstrução histórica social registrada nesse período.

Referências

AQUINO, M. A. No coração das trevas: o DEOPS/SP visto por dentro. In: AQUINO, M. A. et al. (Org.). No coração das trevas: o DEOPS/SP visto por dentro. São Paulo: Arquivo Público do Estado; Imprensa Oficial, 2001. p. 15-19.
BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Direito à verdade e à memória: comissão especial sobre mortos e desaparecidos políticos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2007.
CAMARGO, A.M.A. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, p. 29-39, 2009.
CARDIA, M.L. DOI-CODI. HTML. [S. l.]: Arquivo Nacional, 5 set. 2017. SÉRIE “ESTRUTURA DA REPRESSÃO DA DITADURA MILITAR. Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/br/difusao/arquivo-na-historia/696-doi-codi.html. Acesso em: 23 out. 2020.
ESPINDOLA, C.; SILVA, I. A preservação de documentos do dops no aperj. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 23, n. 2, p. 115-124, 2010. Disponível em: < http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/45061>. Acesso em: 19 fev. 2021.
Fundo: Documentos Impressos – APEJE. In, Legislação Estadual de Pernambuco Lei nº 71 DE 23/12/1935. Coleção de Leis e Decretos de Pernambuco Recife: Imprensa Oficial, 1935-1937.
OLIVEIRA, S. Tratado de metodologia cientifica: projetos de pesquisa, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. São Paulo: Pioneira, 2010.
PAES, M.L. Arquivo: teoria e prática. 3ed. Rio de Janeiro: FGV, 2004.
PEREIRA, L. L. C. Nos arquivos da polícia política: reflexões sobre uma experiência de pesquisa no dops do rio de janeiro. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 27, n. 1, p. 254-267, 2014. Disponível em: < http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/40754>. Acesso em: 21 fev. 2021.
RODRIGUES. A.M.L. A teoria dos arquivos e a gestão dos documentos. Perspect. Ciênc. Inf., Belo Horizonte, v.11 n.1, p. 102-117, jan./abr. 2006.
SILVA, M.G. DOPS: A Lógica da Vigilância e do Controle Político e Social em Pernambuco entre 1930 e 1958. Recife: Editora da UFPE, 2014.
__________. DOPS: a lógica da vigilância e do controle político e social em pernambuco entre 1930 e 1958. A Lógica da Vigilância e do Controle Político e Social em Pernambuco entre 1930 e 1958. 2014. Disponível em: http://obscurofichario.com.br/artigo/dops-a-logica-da-vigilancia-e-do-controle-politico-e-social-em-pernambuco-entre-1930-e-1958/ . Acesso em: 21 jan. 2021.
SOARES, T.N. COMO ELES AGIAM: a atuação do dops-pe na vigilância, censura e repressão ao movimento estudantil em recife nas décadas de 1970/80. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 28., 2015, Florianópolis. Anais do XXVIII Simpósio Nacional de História. Florianópolis: Anpuh, 2015. p. 1-11.
SODRÉ, C. A.; RONCAGLIO, C. O caráter de prova dos documentos produzidos pelas dops. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 22, n. 3, p. 252-266, 2017. Disponível em: < http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/37139 >. Acesso em: 20 fev. 2021.
Publicado
2021-09-16
Como Citar
LUIZ DA SILVA ROMÃO, A.; HOLANDA VILELA, A.; DA SILVA LUCENA, C. G.; MASCARENHAS E SILVA, F. DOPS-Pernambuco (PE): um olhar arquivístico com restringes de repressão. Folha de Rosto, v. 7, n. 2, p. 194-210, 16 set. 2021.